quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Livro, Sumário, Parte 1, Capítulo I, O início

Olá,

Não esqueça do combinado: Todos os dias, aqui, um capítulo do livro Sou portadora da Síndrome de Stevens Johnson e quero ser mamãe. E agora?


Lembrando que a revisão do texto é de Rosana Tokimatsu.

Boa leitura!!!!

Beijos e queijos...
________________________________________________________________



Sumário

Introdução                                                                                                                                                                                             

                                              
PARTE 1

           
I – O início                                                                                                   

II – Um mergulho no abismo                                                                         

III – A cura para todos os males                                                                    

IV – Sonhos dilacerados                                                                               

V – Em busca de um milagre                                                                         

VI – A esperança                                                                                          

VII – A realidade                                                                                          

VIII – O pesadelo                                                                                         

IX – Uma escolha óbvia                                                                                

X – Silêncio ensurdecedor                                                                            
        
XI – A véspera                                                                                             
  
XII – Ansiedade                                                                                           

XIII – Lembranças de Hitchcock                                                                  

XIV – O golpe de misericórdia                                                                     
        
XV –   A cirurgia                                                                                         

XVI –  O pós-operatório                                                                             

XVII – O abismo                                                                                        

XVIII – A recaída     
                                                                                   
XIX –  Os sintomas                                                                                    

XX – A dor da alma                                                                                      

XXI –  O grito sufocado                                                                               

XXII – A Síndrome de Stevens Johnson (SSJ)                                              

XXIII – Síndrome de Stevens Johnson: outras sequelas                                 

XXIV – Sobre a Síndrome do Olho Seco ou Síndrome da Disfunção
Lacrimal (SDL)                                                                                             

XXV – Vivendo o suplício de Tântalo: o dia a dia
dos portadores da Síndrome do Olho Seco (breve depoimento)                     

XXVI – Sobre a APOS                                                                                 

XXVII – As sequelas                                                                                    

XXVIII – A recuperação no hospital                                                             

XXIX – A recuperação em casa                                                                     


PARTE 2


I – Alguns meses antes da gravidez                                                                
                                                       
II – Planejando a gravidez                                                                             
         
III – A gestação                                                                                           
         
IV – As primeiras imagens                                                                            

V – O nascimento do Davi                                                                            

VI – O recém-nascido                                                                                   

VII – Pós-parto                                                                                             

VIII – Meu dia a dia com o bebê                                                                   

Considerações Finais                                                                                    


___________________________________________________________________________


PARTE 1
I

O início
Acho importante, neste primeiro momento, retomar alguns pontos, isto é, descobertas registradas no meu primeiro livro, Das Cinzas ao Renascimento: um caso de Síndrome de Stevens Johnson. O caminho que percorri até descobrir ser portadora dessa doença, que afeta profundamente o lado psicológico, deixando um rastro de insegurança, incerteza, medo, pois tudo girava e gira em torno do problema. E como se não bastasse, a Síndrome do Olho Seco, sequela da SSJ, que também merece um capítulo à parte.
Pois bem!
Em vinte de outubro de dois mil, portanto, aos vinte e nove anos de idade, fui submetida a uma cirurgia para a retirada de um tumor (Astrocitoma Pilocítico)[1], localizado no cerebelo[2]. Antes disso, sofria frequentemente com terríveis dores de cabeça. A sensação era como se eu tivesse uma espada cravada no meio da cabeça, de tão intensas eram as dores.
Foram seis longos meses de martírio e uma verdadeira via crucis: tudo começou, esporadicamente, com uma simples dor de cabeça e aos poucos ela se tornou constante. Os incômodos geralmente vinham acompanhados de dores no estômago, nos olhos e nas costas.
Imaginei que era problema no estômago ou estresse, pois tudo que eu comia jogava fora. Estava perdendo peso rapidamente. De cinquenta e sete quilos fui para cinquenta e três, isso num prazo de vinte dias, sem dieta de emagrecimento.
Procurei um clínico geral, que me encaminhou para um gastro.
Já no especialista, após ser submetida a vários exames, dentre eles a endoscopia, o médico chegou ao diagnóstico de uma leve gastrite e disse que ela não colaborava para tal quadro. Saí de lá desconsolada e sem perspectiva de melhora.
Meu dia a dia era um tormento e, há tempos, não sabia o que era viver em paz e ter tranquilidade; vivia em função de encontrar uma forma de me livrar daquele pesadelo.
Os problemas iam tomando proporções cada vez maiores; meu quadro clínico piorava e ninguém, nem os médicos, tinha a resposta. Agora, o que me incomodava era a perda lenta da visão. Então procurei um especialista. Chegando ao consultório oftalmológico, narrei ao médico o que estava ocorrendo e disse a ele que meus olhos já não desempenhavam muito bem as suas funções. Minha visão periférica estava trêmula e, frontalmente, numa certa distância, já não conseguia distinguir pequenos objetos, pois meus olhos estavam muito embaçados. Para agravar ainda mais a situação, perdia facilmente o equilíbrio. O médico, imediatamente, realizou alguns exames nas córneas e no globo ocular. Minutos depois recebi o resultado e, segundo o oftalmo, nada de anormal foi detectado.
De acordo com o especialista, eu tinha apenas um diagnóstico de ‘vista cansada’ e que tal problema não era o responsável por tantos incômodos. O médico prescreveu um colírio e me encaminhou para um ortopedista, pois, além de tudo, eu não conseguia me locomover.
As dores não davam trégua. Sofria vinte e quatro horas por dia e, de acordo com o ortopedista, após realizar vários exames, principalmente Raios-X da coluna, eu tinha apenas um pequeno desvio e que ele não era a causa para tamanho desconforto. Em seguida, prescreveu um paliativo e recomendou repouso e férias, pois acreditava se tratar também de estresse.
Desiludida, fui para casa.


[1]Astrocitomas Pilocíticos são um tipo de tumor do Sistema Nervoso Central que se distinguem por seus aspectos patológicos e evolução quase invariavelmente benigna. Ocorrem em crianças e adultos jovens, estando visualmente localizados no cérebro. São, frequentemente, císticos, e compostos por células com prolongamentos finos piliformes. Crescem muito lentamente. Há pacientes que sobrevivem até 40 anos depois de uma recessão incompleta” (nota do Dr. Nivaldo Aleixo de Barros, Cardiologista do Hospital do Servidor Público do Estado Francisco Morato (HSPE) e chefe do setor de dermatologia na época).
[2]O cerebelo se localiza na parte posterior do cérebro. Ele “mantém o equilíbrio...”, o controle, a harmonia “e o tônus muscular durante cada movimento” ordenado pelo cérebro. DUUS, Peter. Diagnóstico topográfico em neurologia. 3ª ed. Trad. Dra. Hildegard T. Buckup. Revisão e Coord. Professor Fernando Pompeu. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 1985.


___________________________________________________________________________________________________


TE ESPERO AMANHÃ!!!!

0 comentários:

Postar um comentário

 

Blogs e Sites

Seguidores

Conheça meu Livro

WiaWebWebmasters